Prefeito José Olegário assina convênio para a construção de 85 Casas

Foi realizada na tarde de quarta-feira (17), uma reunião de interesse popular, onde foi assinado o convênio para a construção de 85 moradias no conjunto Benedito Salles do Nascimento, que fica ao lado do estádio Frei Demétrio.  As assinaturas aconteceram com a parceria, da prefeitura, associação de moradores unidos pioneiros, Cohapar e Caixa Econômica federal, construtora Betonex.  Segundo o Prefeito José Olegário o início da obra será a partir do mês de Janeiro de 2015, com a previsão de entrega no mês de setembro de 2015, apesar de muitas dificuldades terem acontecidos para chegar nesse momento tão importante devido algumas burocracias encontradas, só temos que agradecer a todos e principalmente a  nossa equipe que foram eficientes, a partir de agora só vamos aguardar as liberações de recursos para acontecer à obra, ressaltamos ainda que vai gerar 40 empregos durante oito meses. Disse o Prefeito. Estiveram presentes na reunião as seguintes autoridades: Prefeito José Olegário, vice Osmarzinho, Presidente da câmara Ademar Baiano, Genésio Benedito do Prado, Célia Alves,Renato Honório, Marquinhos Molonha. Gerente caixa Cornélio Procópio Marco Antonio, Gerente Reg. Olides Milezi Junior, Superintendente, Elcio José Coelho de Lara. Dr. Neuto Betonex, Construtora Betonex. Centenas de pessoas da comunidade compareceram para participar da reunião. passagens aéreas gol

AGNALDO DOS SANTOS, O POLACO BORRACHEIRO É REELEITO PARA A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA DE VEREADORES DE S.S. DA AMOREIRA

Polaco Borracheiro recebendo o diploma.
Aconteceu na última semana, a eleição para a Presidência da Câmara de Vereadores de São Sebastião da Amoreira.

Depois de algumas especulações nos bastidores da política da cidade, acabou acontecendo o que a maioria já previa, ou seja, outra vitória do Agnaldo dos Santos, o popular Polaco Borracheiro.

A chapa do Vereador Polaco borracheiro, que tinha como Vice o Vereador Luan Gaspar, obteve seis votos, dos Vereadores Batista, Devair da Saúde, Isak Rosa e do Tião Vidoti. Enquanto que a outra chapar teve três votos, Veradora Dila, Vereador Edinho Funileiro e João Carlos.

Polaco Borraceiro já é o Presidente e vai continuar por mais dois anos, 2015/16. Ele promete muito trabalho, transparência e abrir mais ainda a Câmara de Vereadores para sua comunidade.

Paulo Roberto Costa citou nomes de 28 políticos em delação premiada.



Preso em março pela Operação Lava Jato, o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa revelou no acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF) o nome de 28 políticos supostamente beneficiados pelo esquema de corrupção que atuava na Petrobras, segundo reportagem publicada na edição desta sexta-feira (19) do jornal “O Estado de S. Paulo”. A publicação afirma que entre os mencionados por Costa estão o ministro de Minas e Energia,Edison Lobão; os ex-ministros Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil), Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Mário Negromonte (Cidades); o governador do Acre, Tião Viana (PT); os ex-governadoresSérgio Cabral (Rio) e Eduardo Campos (Pernambuco), além de deputados e senadores de PT, PMDB, PSDB e PP (confira mais abaixo o que disseram os políticos citados). De acordo com o jornal, nos depoimentos que prestou aos procuradores da República entre agosto e setembro para tentar reduzir sua eventual pena, Paulo Roberto Costa disse que Palocci pediu, em 2010, um repasse de R$ 2 milhões para a campanha da então candidata do PT à Presidência,Dilma Rousseff. À época, o ex-ministro era um dos três coordenadores da campanha petista ao Palácio do Planalto. Palocci comandou o Ministério da Fazenda no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, posteriormente, a Casa Civil na gestão Dilma. Ele encerrou sua última passagem pela Esplanada dos Ministérios em 2011, após a revelação de que teve o patrimônio multiplicado por 20 entre 2006 e 2010, período em que foi ministro da Fazenda e deputado federal pelo PT.
Ex-diretor da Petrobras citou 28 políticos em delação, diz jornal (Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)
VALE ESTE (2)!!!!! Lista dos políticos mencionados por Paulo Roberto Costa na delação premiada (Foto: Arte/G1)
O que dizem os políticos ANTONIO PALOCCI (PT) – Por meio de sua assessoria de imprensa, Palocci negou “veementemente” as declarações do ex-dirigente da Petrobras. O advogado do ex-ministro, Guilherme Batochio, ressaltou ao jornal que “o próprio Paulo Roberto disse que não sabe se foi repassado dinheiro para Palocci e reconheceu que o ex-chefe da Casa Civil não lhe pediu nada. Segundo o defensor, Palocci não conhece e nunca falou com Paulo Roberto Costa. GLEISI HOFFMANN (PT) – Em nota oficial, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirmou que as doações da sua campanha em 2010 constam da prestação de contas enviada à Justiça Eleitoral e aprovada “sem qualquer ressalva”. A ex-ministra da Casa Civil disse no texto que “não conhece e jamais manteve qualquer contato” com Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef. Gleisi também afirma que desconhece os fatos referentes ao conteúdo da delação premiada e que “não sabe o contexto que seu nome foi citado, ou sequer se a citação existe de fato”. “A senadora informa ainda que nada tem a temer sobre a investigação em curso e que seus sigilos fiscal, bancário e telefônico estão à disposição da Justiça”, conclui. HUMBERTO COSTA (PT) – Em comunicado divulgado nesta sexta, o senador Humberto Costa ressaltou que “não há qualquer fato novo” e que ele reitera estar “à disposição dos órgãos de investigação”, tendo disponibilizado seus sigilos bancário, fiscal e telefônico à CPI mista da Petrobras, ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e ao ministro do STF Teori Zavascki por meio de ofícios encaminhados no dia 24 de novembro de 2014. LINDBERGH FARIAS (PT) – O senador Lindbergh Farias disse que não existe “nenhuma acusação” de Paulo Roberto Costa contra ele. O senador também afirmou que não cometeu nenhuma ilegalidade e que acionará a Procuradoria da República “a fim de acelerar as investigações do caso”. TIÃO VIANA (PT) – O governador do Acre, Tião Viana, disse, por meio de nota oficial, “estranhar” a informação obtida pelo jornal, pois “não conhece e nunca teve qualquer tipo de relação com o Sr. Paulo Roberto Costa”. “Qualquer ilação que venha atingir a responsabilidade do Governo do Acre ou a honra pessoal do governador, será tratada pelas vias judiciais garantidas pelo Estado democrático de direito”, enfatizou. DELCÍDIO AMARAL (PT) – A assessoria do senador Delcidio Amaral informou que os fatos delatados por Paulo Roberto Costa são “anteriores” ao seu mandato e que tomará as medidas judiciais cabíveis “com relação a mais esse vazamento ilegal e irresponsável” de informação. CÂNDIDO VACAREZZA (PT) – Ao jornal “O Estado de S. Paulo”, o deputado Cândido Vacarezza negou as acusações. “Eu nunca recebi um centavo do Paulo Roberto Costa, nunca apresentei nenhuma empresa a ele e nunca levei nenhuma empresa para falar com o Paulo Roberto Costa. Não acredito que ele tenha dito isso, porque se ele disse é mentira”, disse. À equipe da TV Globo, o deputado Cândido Vaccarezza disse que não comentaria o assunto. VANDER LOUBET (PT) – O deputado Vander Loubet, por meio de nota, se disse “surpreso” diante da menção de seu nome em notícia veiculada na imprensa. O parlamentar disse que não teve relação “institucional, política ou de outra natureza” com Paulo Roberto Costa e que está a disposição da Justiça para esclarecer os fatos “com a maior brevidade possível”. RENAN CALHEIROS (PMDB) – O senador Renan Calheiros disse por meio de um comunicado oficial que suas relações “com todos os diretores da estatal nunca ultrapassaram os limites institucionais”. “Não há chance alguma de o senador ter tratado de temas não republicanos com qualquer pessoa ou executivos desta ou de outra estatal”, informa o texto. EDISON LOBÃO (PMDB) – O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, informou em nota que desconhece a inclusão de seu nome em depoimento de investigados pela Justiça e que jamais praticou irregularidade ou dela se beneficiou no exercício da vida pública. “Repele, portanto, com veemência, toda e qualquer tentativa de vincular o seu nome a supostos ilícitos ou falha de conduta”, disse. HENRIQUE EDUARDO ALVES (PMDB) – O presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves, afirmou que diversas “supostas listas” têm sido divulgadas, negando envolvimento. “Reitero que delação premiada é um instrumento que beneficia ao réu, não deve ser tomada como prova de verdade. Para isso, há a investigação séria dos órgãos competentes”, informou por meio de sua assessoria. SÉRGIO CABRAL (PMDB) – O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral disse, por meio de nota oficial, que repudia qualquer menção a seu nome “em suposta lista ou fato relatado por Paulo Roberto Costa”. Ele afirmou que sua relação com o ex-diretor sempre foi institucional e que jamais indicou ou interferiu em indicações de nomes para o governo federal ou decisões gerenciais da Petrobras. ROSEANA SARNEY (PMDB) – O advogado da ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney, Antônio Carlos de Almeida Castro, Kakay, afirmou que sua cliente “não é alvo da Lava Jato” e que se trata de um “encontro fortuito”. Segundo ele, a ex-governadora teve seu nome ligado a Alberto Youssef após denúncia de suborno feita por Meire Poza, que era contadora do doleiro. “Eu, inclusive, já conversei com o Alberto, e ele disse que não conhece a Roseana, e que nunca fez negócios com ela”, afirmou. O pai de Roseana, o senador José Sarney (PMDB-AP), disse não acreditar no envolvimento da filha. VALDIR RAUPP (PMDB) – O senador Valdir Raupp (PMDB-RO) informou por meio de nota que “estranha” a menção do nome dele por Paulo Roberto Costa, “posto que jamais recebeu qualquer espécie de vantagem, bem como  nunca tratou com envolvidos na referida operação”. Segundo ele, todas doações a campanhas eleitorais “estão devidamente registradas e submetidas à Justiça Eleitoral”. “É inadmissível e inaceitável  qualquer manobra para vincular o seu nome aos investigados na Operação Lava Jato”, diz o texto. ROMERO JUCÁ (PMDB) – Por meio de sua assessoria, o senador Romero Jucá negou qualquer envolvimento no esquema. ALEXANDRE SANTOS (PMDB) – O deputado Alexandre José dos Santos disse a “O Estado de S. Paulo” que foi Paulo Roberto Costa quem pediu ajuda a ele para se aproximar do ex-prefeito de Itaboraí, Sérgio Soares. Segundo o deputado, Costa queria conversar com o ex-prefeito sobre o Comperj, complexo cujas obras também são alvo de investigações de superfaturamento. “Por que eu receberia alguma coisa dele [Paulo Roberto Costa]?”, questionou o parlamentar. EDUARDO CAMPOS (PSB) – Com relação a Eduardo Campos, que morreu em agosto, o PSB “reitera o seu posicionamento de extrema confiança em seu ex-presidente nacional”. “O ônus da prova é de quem acusa, portanto, o senhor Paulo Roberto Costa deve provar a sua denúncia, até porque ele cita um líder com reputação ilibada e que não está mais aqui para se defender”, diz o partido em comunicado. SÉRGIO GUERRA (PSDB) – Em nota, o PSDB, partido que foi presidido por Sérgio Guerra, morto em março, afirmou que “já reiterou por diversas vezes” que defende que todas as denúncias sejam investigadas com o mesmo rigor, independentemente da filiação partidária dos envolvidos e dos cargos que ocupem. “A apresentação do relatório paralelo da CPMI, de autoria do PSDB, reforçou essa tese ao pedir o indiciamento de 59 pessoas e a abertura de inquérito policial contra outras 36, várias destas políticos, tratando os nomes citados da mesma forma, sem distinção de filiação partidária”, afirmou o PSDB na nota. CIRO NOGUEIRA (PP) – O presidente nacional do PP, Ciro Nogueira (PI), enviou ao jornal “O Estado de S. Paulo” a mesma carta encaminhada ao juiz federal Sérgio Moto, na qual diz que renuncia se houver qualquer “comprovação de vínculo financeiro, ilegal ou impróprio”. MÁRIO NEGROMONTE (PP) – O ex-ministro Mário Negromonte (PP-BA) disse em nota que repudia “veementemente” a afirmação que inclui seu nome na relação divulgada pelo jornal. “As poucas vezes que estive com o Sr. Paulo Roberto Costa foi para tratar de assuntos institucionais e na presença de outras pessoas. Nunca tratei de assuntos relacionados a recursos e nunca recebi”, afirmou. JOÃO PIZZOLATTI (PP) – Ao jornal “O Estado de S. Paulo”, a asssessoria do deputado João Pizzolatti (PP-SC) informou que o parlamentar desconhece o inquérito. NELSON MEURER (PP) – O deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) afirmou que todas as doações recebidas para as eleições de 2010 “são oficiais e estão registradas na prestação de contas no TSE”. Ele declarou que todas as doações de campanha, tanto em 2010, quanto em 2014, foram solicitadas diretamente ao PP e que nunca teve “contato com Paulo Roberto Costa ou mesmo Youssef”. O deputado afirmou ainda que recebeu uma doação no valor de R$ 500 mil da empreiteira Queiroz Galvão, feita a pedido do PP. Meurer disse estar “tranquilo” de que a Justiça “não vai encontrar provas de algum ilícito”. SIMÃO SESSIM (PP) – O deputado Simão Sessim (PP-RJ) disse ao jornal “O Estado de S. Paulo” que não vai se manifestar sobre a lista. BENEDITO DE LIRA (PP) – A assessoria do senador Benedito de Lira (PP-AL) informou que não tem informações sobre o conteúdo das denúncias e que não vai se manifestar. LUIZ FERNANDO FARIA (PP) – O deputado federal Luiz Fernando Faria (PP-MG) disse em nota que os contatos mantidos com Paulo Roberto Costa se deram “exclusivamente por dever de ofício”. Segundo o deputado, na qualidade de presidente da Comissão de Minas Energia em dois períodos, 2008 e 2011, e relator de um dos projetos do pré-sal (PL 5939/2009), o contato entre os dois era “inerente” ao exercício da função, para o “tratamento das questões institucionais, republicanas e de interesse nacional”. PEDRO CORRÊA (PP) – O advogado do ex-deputado Pedro Corrêa afirmou que ele cumpre pena de 7 anos e 2 meses em regime semiaberto no Centro de Ressocialização do Agreste, na cidade de Canhotinho, no interior de Pernambuco, e que está incomunicável, não tendo acesso a telefone. ALINE CORRÊA (PP) – Por meio de nota, a deputada federal Aline Corrêa (PP-SP) informou que não tem “nenhuma relação” com o ex-diretor Paulo Roberto Costa e que as doações à sua campanha foram feitas de forma oficial e aprovadas pelos órgãos competentes. Ela também afirmou que está à disposição da Justiça para “todo e qualquer esclarecimento”. JOÃO OTÁVIO GERMANO (PP) – O deputado José Otávio Germano (PP-RS) afirmou em nota que vê com “tristeza e indignação” a presença do seu nome na relação de políticos que teriam sido citados nos depoimentos do ex-diretor da estatal. Ele admitiu que esteve duas vezes com Paulo Roberto na sede da Petrobras na época em que presidia a Comissão de Minas e Energia da Câmara. Dinheiro para campanhas O jornal “O Estado de S. Paulo” relatou que, na delação premiada, Costa afirmou que parte dos políticos que integravam o esquema de corrupção recebiam repasses de propinas com frequência. O ex-diretor da Petrobras, que está em prisão domiciliar no Rio de Janeiro, revelou ao MPF que as parcelas de suborno chegaram a superar R$ 1 milhão. O dinheiro, destaca a reportagem, teria sido usado em campanhas eleitorais. Em depoimento à Justiça Federal do Paraná em outubro, Costa também relatou que parte da propina cobrada de fornecedores da estatal foi usada na campanha eleitoral de 2010. Segundo ele, o dinheiro era direcionado a PT, PMDB e PP. Na ocasião, ele disse ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo processo da Lava Jato na primeira instância, que o PT recolhia para o seu caixa 100% da propina obtida em contratos das diretorias que a sigla administrava, como, por exemplo, as de Serviços, Gás e Energia e Exploração e Produção. Conforme o ex-dirigente, se o contrato era de uma diretoria que pertencia ao PP, o PT ficava com dois terços do valor e o restante era repassado para a legenda aliada. Da cota do PP, detalhou Costa à Justiça Federal, 60% eram repassados para a direção do partido, 20% eram usados para emitir notas fiscais e outros 20% eram divididos entre ele e o ex-deputado federal José Janene (PP), apontado como antigo operador do partido no esquema de corrupção que tinha tentáculos na Petrobras. Um dos réus do processo do mensalão do PT, Janene morreu em 2010, antes de ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A relação de nomes de políticos mencionados por Costa na delação premiada reproduz a divisão partidária da propina que ele mesmo detalhou em outubro. Nas contas da reportagem de “O Estado de S. Paulo”, o ex-diretor citou ao Ministério Público oito políticos do PT, oito do PMDB, dez do PP, um do PSDB e um do PSB.
Frequência dos subornos O delator do esquema de corrupção observou na delação premiada que, ao mesmo tempo em que ocorriam repasses regulares, outra fatia dos políticos recebia suborno esporadicamente, informou a publicação. De acordo com o jornal, o ex-presidente nacional do PSDB Sérgio Guerra – que morreu em março deste ano – teria pedido, em 2009, R$ 10 milhões para arquivar uma CPI da Petrobras no Senado. O texto afirma ainda que, em relação a diversos políticos, Paulo Roberto Costa apenas mencionou os nomes, sem detalhar as cifras que teriam sido distribuídas a eles ou a seus partidos. A reportagem ressalva que os nomes citados por Costa são exclusivamente de políticos que teriam sido beneficiados com propinas pagas por fornecedores da Petrobras à diretoria de Abastacimento, que ele comandou entre 2004 e 2012, nos governos Lula e Dilma. Políticos mencionados por outros delatores, como o doleiro Alberto Youssef – suspeito de comandar o esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propina desmontado pela Operação Lava Jato –, não estavam entre os listados por Paulo Roberto Costa. Segundo o jornal, o ex-diretor da Petrobras disse que, em 2010, o esquema de corrupção que atuava na Petrobras repassou R$ 1 milhão para a campanha da senadora Gleisi Hoffmann, que comandou a Casa Civil de Dilma entre 2011 e 2014. O ex-diretor, destacou a reportagem, teria recebido pedido do doleiro Alberto Youssef para ajudar na candidatura dela. O líder do PT no Senado, diz o texto, também teria recebido R$ 1 milhão do esquema para sua campanha em 2010. A reportagem afirma que, de acordo com Costa, o dinheiro teria sido pedido pelo empresário Mário Barbosa Beltrão, presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco. Costa, informa o jornal, também deu detalhes sobre o suposto envolvimento de outro petista no esquema: o senador Lindbergh Farias, que concorreu ao governo do Rio de Janeiro na eleição deste ano. De acordo com o ex-dirigente da Petrobras, ele trabalhou na campanha deste ano de Lindbergh e teria como uma de suas atribuições coletar doações com empreiteiras em nome do petista.
VALE ESTE - Arte Lava Jato 7ª fase (Foto: Infográfico elaborado em 15 de novembro de 2014)

Justiça suspende uma das CPs contra prefeito Adir Leite(PSDB) de São Jerônimo


A Justiça de São Jerônimo da Serra (Região Metropolitana de Londrina) suspendeu, liminarmente, uma das Comissões Processantes (CPs) instaurada na Câmara de Vereadores contra o prefeito afastado Adir dos Santos Leite (PSDB). A CP suspensa apura supostos contratos fraudulentos da prefeitura com o empresário Odirlei Nigra, dono de um supermercado e de um posto de combustíveis. A decisão, proferida pela juíza substituta da Vara da Fazenda Pública, Andrea de Oliveira Lima Zimath, atende pedido do prefeito, que alega cerceamento de defesa no procedimento investigatório. 
Na sessão da CP no dia 2 de dezembro, Adir prestou depoimento pela primeira vez, mas das dez testemunhas arroladas por ele, apenas duas foram ouvidas. Entre os que não compareceram estão os deputados estaduais Tercilio Turini (PPS) e Evandro Junior (PSDB), que justificaram a ausência, e três prefeitos municipais, cujos nomes não foram revelados. Na ocasião, Turini disse que não mantém relacionamento político com Adir e que "talvez o meu nome tenha surgido por intermédio do vereador Isaque (Martins, PPS), mas eu não tenho conhecimento dos fatos investigados". 
Para a juíza, "a comissão processante deveria ter diligenciado no sentido de providenciar a oitiva das testemunhas arroladas, inclusive mediante condução coercitiva através do Judiciário para aquelas que não compareceram sem justificativa". Ela determina também a suspensão do transcurso do prazo de 90 dias da CP "pelo período que durar a colheita da prova cerceada". 
A assessoria jurídica da Câmara informou que ainda não havia sido notificada da suspensão. 
HISTÓRICO
Depois da operação Sucupira, em agosto, quando foram cumpridos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) mais de 50 mandados de busca e apreensão e de prisão em São Jerônimo e mais sete cidades, 39 pessoas foram denunciadas à Justiça por corrupção, entre vereadores, secretários municipais e familiares de Adir. O prefeito, pelo foro privilegiado, foi denunciado ao Tribunal de Justiça (TJ) do Paraná. Mesmo afastado do cargo, o tucano segue recebendo o salário (R$ 10 mil).

FOLHA DE LONDRINA - 20-12.

FOI O PREFEITO LUIZINHO...


Quem passar pela Praça Geremias Lunardelli no centro da cidade de São Sebastião da Amoreira, vai perceber que a iluminação alusivas ao Natal, que vem chegando, ficou muito bonita. Tudo isso, só foi conseguido, graças ao empenho do Prefeito Luizinho que não mediu esforços para deixar o centro da cidade mais bonita.

PECULATO.


NOVO PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE SANTO ANTONIO DO PARAISO, MIGUEL URBANO PODE SER O VICE DE VANDERLEI MARTINS


Depois da vitória por unanimidade para a Presidência da Câmara de Vereadores 2015/2016, o Vereador Miguel Arcanjo Dias(PMDB), saiu super fortalecido e se comenta em Santo Antônio do Paraíso que ele pode fazer a dobradinha com Ex Prefeito Vanderlei Martins nas Eleições de 2016. Vereador Miguel Urbano como ele é conhecido é o favorito a Vice- Prefeito ao lado de Vanderlei Martins. Falam inclusive na cidade que pela segunda vez pode haver candidato único na cidade.

Aconteceu em 1973 uma candidatura única, com o Ex Prefeito Durval Menezes de Melo e Vice Natali Polican que tambem foram candidatos único.

PREFEITO LUIZINHO(PR) ENTREGOU MAIS UMA AMBULÂNCIA PARA SÃO SEBASTIÃO DA AMOREIRA

Mais uma conquista do Prefeito Luizinho(PR) de São Sebastião da Amoreira. Prefeito Luizinho entregou ontem, sábado, 20, uma ambulância zero quilômetro para reforçar a frota do Departamento de Saúde de sua cidade.

BRASILEIRO É CAMPEÃO MUNDIAL DE SURF


Kent Nishimura/AFP
 
O surfista Gabriel Medina se tornou o primeiro brasileiro a conquistar o Campeonato Mundial do esporte, na sexta-feira em Pipeline, no Havaí. Medina chegou ao último evento do ano como líder do ranking da Associação dos Surfistas Profissionais (ASP) e assegurou a conquista depois que o também brasileiro Alejo Muniz bateu o australiano Mick Fanning na repescagem (quinto round) por 6,53 a 2,84. Fanning, tricampeão mundial, era o único surfista que podia tirar o título de Medina.
France Presse
FOLHA DE LONDRINA

Duas pessoas morrem em colisão contra caminhão na BR-369

Um grave acidente no trecho urbano da BR-369, em Apucarana, resultou na morte de duas pessoas na madrugada deste sábado (20). A colisão ocorreu por volta das 5h30.

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal, um veículo Corsa Sedan teria perdido o controle e colidido contra um caminhão. Dois ocupantes do carro morreram na hora. Segundo informações preliminares, outras duas pessoas ficaram feridas no acidente e foram encaminhadas pelo Samu ao Hospital da Providência.

Os corpos das vítimas foram levados ao Instituto Médico Legal de Apucarana (IML). Nenhuma delas foi identificada porque, segundo o IML, ambas não portavam documento no momento do acidente.
Redação Bonde-FOLHA DE LONDRINA

Trio é detido em Londrina por abate irregular de capivaras

Três homens foram detidos nesta sexta-feira (19) em Londrina, após serem flagrados pelo abate irregular de animais silvestres. Eles foram abordados por policiais militares que faziam patrulhamento na Avenida Theodoro Vitorelli, na área central da cidade, enquanto retiravam cinco capivaras do porta-malas de um carro e levavam para o interior de uma oficina.

A Força Verde não informou a identidade do trio, que foi encaminhado à delegacia para a formalização de um Termo Circunstanciado. Segundo a soldado Camila Reina, eles vão responder por crime ambiental e terão que pagar multa que varia de R$ 500 a R$ 5 mil por animal abatido. O valor da multa varia de acordo com o grau de extinção do animal apreendido (vivo ou abatido).
Redação Bonde-FOLHA DE LONDRINA

Acidente deixa um morto e 36 feridos

Ônibus que levava operários para o trabalho capotou e caiu em uma ribanceira na PR-218, em Paranavaí

Paranavaí – Um acidente com um ônibus do transporte coletivo resultou em uma morte e 36 pessoas feridas na madrugada de ontem na PR-218, quilômetro 5, em Paranavaí (Noroeste). O coletivo levava operários de três empresas para o trabalho no Distrito de Graciosa, localizado a 12 quilômetros da sede do município.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Paranavaí, o acidente aconteceu por volta das 4h30, a 500 metros da avícola onde a maioria dos passageiros iria descer e próximo à ponte sobre o Rio Paranavaízinho. As outras duas indústrias também são do ramo alimentício. "O condutor perdeu o controle na curva, o ônibus se chocou contra a canaleta, tombou e caiu em uma ribanceira", contou o sargento do Corpo de Bombeiros Marcos Antônio da Silva, que comandou o atendimento aos feridos.

A vítima fatal foi identificada como Carlos Alberto Fernandes, 41 anos. "Ele foi arremessado pela janela e caiu embaixo do ônibus", relatou o sargento. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Paranavaí.

Dos 36 feridos, entre eles o motorista do ônibus, 16 sofreram ferimentos graves e foram levados à Santa Casa. Três passageiros, que sofreram fraturas e traumatismo craniano, corriam risco de morte até o final da manhã de ontem. Os outros 20 feridos sofreram escoriações leves e foram atendidos no pronto-atendimento municipal.

O trabalho de socorro às vítimas levou cerca de 3h30 e mobilizou equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Estadual (PRE), Polícia Militar, além das próprias empresas onde os operários atuam.
Lucio Flávio Cruz
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

RIQUEZA - Noroeste, a região que mais cresce no Paraná

De 2002 a 2012, a área que tem Umuarama e Paranavaí como municípios polos aumentou sua participação no PIB estadual em 17%

Anderson Coelho
A participação de Cianorte na produção da riqueza paranaense cresceu 41% na década
 
Entre as dez mesorregiões do Paraná, a Noroeste foi a que mais se destacou economicamente no período de 2002 a 2012. Sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) do Estado cresceu 17% na década. Em 2012, o PIB da mesorregião, formada por 61 municípios, entre eles Paranavaí, Umuarama e Cianorte, chegou a R$ 12 bilhões, o que representa 4,7% do total paranaense (R$ 255,9 bilhões). O indicador referente ao ano retrasado é o mais recente disponível e foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no dia 11 de dezembro.

O Sudoeste, formado por 37 municípios, como Francisco Beltrão e Pato Branco, foi o segundo que mais ganhou participação: 12%. Em 2012, o PIB da mesorregião chegou a R$ 9,7 bilhões, o que representa 3,8% do total. O Norte, com Londrina e Maringá entre 79 cidades, aumentou sua participação no bolo em 5,6%, tendo o segundo maior PIB em valores absolutos, R$ 41,1 bilhões, ou 17% de participação na riqueza produzida no Paraná.

A Região Metropolitana de Curitiba (RMC), com 37 municípios incluindo a Capital, foi a quarta mesorregião que elevou sua participação no PIB do Estado. O aumento foi de 4,4%, com um PIB de R$ 116,3 bilhões em 2012, ou 45% do total.

Todas as outras seis mesorregiões perderam participação. O Norte Pioneiro, com 46 cidades, entre elas Cornélio Procópio e Jacarezinho, recuou 2,6% na década, atingindo um PIB de R$ 8,4 bilhões em 2012, ou 3,3% do total. O Sudeste, de União da Vitória e mais 20 municípios, perdeu 6,5% de participação, com um PIB de R$ 5,6 bilhões no ano retrasado, ou 2,2% da riqueza produzida no Paraná. O Centro Oriental, de Ponta Grossa e mais 13 municípios, despencou 10% na participação, atingindo um PIB de R$ 15 bilhões, ou 5,8% do Estado.

Chama atenção a retração do Oeste, já que aquela mesorregião é a terceira com maior PIB. Foram R$ 29,3 bilhões em 2012. Juntos, os 50 municípios do Oeste, entre eles Cascavel e Foz do Iguaçu, perderam 12% de participação na década. Também recuou bastante (18%) a participação do Centro Ocidental, mesorregião que conta com Campo Mourão e outras 24 cidades. A queda foi de 18%, com um PIB que totalizou R$ 6,4 bilhões em 2012.

Por último, com 20% em queda de participação, vem o Centro-Sul, mesorregião de Guarapuava e 28 outros municípios. Ali, a perda de participação foi de 20%. O PIB de 2012 foi de R$ 8,7 bilhões, ou 3,4% do total.

Para o economista Francisco José Gouveia de Castro, do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), a indústria têxtil e a agroindústria (principalmente a sucroalcooleira) são as principais responsáveis pelo destaque do Noroeste no período de 10 anos analisado pela reportagem. Aos poucos, de acordo com ele, a pecuária bovina da região vai cedendo espaço para a indústria. "Também vem se destacando no Noroeste a produção avícola", afirma.

Questionado sobre a perda da participação do Norte Pioneiro no PIB estadual, Castro responde que uma das hipóteses para explicar o fato seria a presença na mesorregião de um solo acidentado desfavorável à agropecuária. "Devido à topografia, a utilização de máquinas fica prejudicada, o que acarreta perda de produtividade na lavoura", avalia.

Na opinião do economista, ao contrário do que possa parecer, o Paraná está se tornando menos desigual. "Está diminuindo a concentração de indústria na Região Metropolitana de Curitiba. Cidades como Ponta Grossa e Maringá estão se industrializando. O Estado está se tornando mais homogêneo do ponto de vista econômico", garante. Castro diz que 78% dos empregos gerados no Paraná de janeiro a outubro deste ano foram no interior.

Ele acredita que, em poucos anos, a mesorregião Centro Oriental, que perdeu 10% de participação no PIB estadual, terá revertido a tendência. Boa parte dos investimentos industriais que estão sendo implantados pelo programa Paraná Competitivo se concentra na região de Ponta Grossa.

FOLHA DE LONDRINA
Nelson Bortolin
Reportagem Local

VEREADOR AMARILDO CORREIA|(PTB) É REELEITO NA PRESIDÊNCIA DA CAMARA DE ASSAÍ






A Câmara Municipal de Assaí em sua última Sessão Ordinária no dia 15/12/2014 elegeu os vereadores que comporão a Mesa Executiva no biênio 2015/2016, assim composta:

Presidente: Amarildo Aparecido Correia (PTB)

Vice-Presidente: Silvio Carlos Guadaguini (PSDB)

1º Secretário: Diego Viana (PROS)

2º Secretário: Henrique Yoshio Sato (DEM)

TSE reverte decisão e autoriza Maluf a assumir novo mandato em 2015

Ex-prefeito havia sido barrado com base na Ficha Limpa pelo TRE-SP.
Procurador-geral eleitoral recomendou que registro fosse negado.

Renan RamalhoDo G1, em Brasília
O deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) votou na manhã deste domingo (28) na Faculdade de Engenharia de São Paulo, na Zona Sul da capital paulista (Foto: William Volcov/AE)Paulo Maluf (PP-SP), após votação em outubro deste
ano (Foto: William Volcov/AE)
Tribunal Superior Eleitoral decidiu nesta quarta-feira (17) aprovar o registro de candidatura do deputado federal Paulo Maluf(PP-SP), o que o autoriza a assumir um novo mandato na Câmara, a partir de 2015. A decisão derruba decisão anterior do próprio TSE e do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), que haviam barrado o parlamentar com base na Lei da Ficha Limpa. O Ministério Público ainda pode recorrer da decisão no TSE ou no Supremo Tribunal Federal (STF).

Em setembro, por um placar apertado, de 4 votos a 3, o TSE havia negado recurso de Maluf e barrado a sua candidatura à reeleição na Câmara dos Deputados com base na Lei da Ficha Limpa. O parlamentar, no entanto, ainda podia recorrer da decisão no próprio TSE e no Supremo Tribunal Federal (TSE), o que permitiu que ele pudesse continuar em campanha.
O procurador-geral eleitoral, Rodrigo Janot, chegou a enviar, em setembro, parecer ao TSErecomendando que a Corte negasse o registro eleitoral para o parlamentar.

Na decisão desta quarta, o resultado anterior do TSE foi revertido pelo ministro Tarcísio Vieira, que substituiu Admar Gonzaga na sessão. No julgamento feito em setembro, além de Gonzaga e da ministra relatora do caso, Luciana Lóssio, votaram contra Maluf os ministros Luiz Fux e Maria Thereza de Assis Moura. A favor de Maluf haviam votado o presidente do TSE, Dias Toffoli e os ministros Gilmar Mendes e João Otávio de Noronha.

Condenação por improbidade administrativa

Maluf obteve 250.296 mil votos nas eleições deste ano, sendo o oitavo candidato mais votado no estado. Ele, no entanto, não havia sido considerado eleito devido ao fato de o registro ter sido indeferido. O entendimento do TRE ao negar o registro se baseou numa condenação por improbidade administrativa (mau uso de recursos públicos) pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

A lei eleitoral impede a candidatura somente quando o ato de improbidade é cometido de forma dolosa, isto é, com intenção de cometer o delito. Maluf, porém, foi condenado pelo TJ-SP por ato culposo, quando não há intenção de cometer ilícito.
O caso trata da construção do Túnel Ayrton Senna, quando ele era prefeito da capital paulista. De acordo com o julgamento, Maluf teria responsabilidade no superfaturamento de cerca de R$ 200 milhões da obra.
Mesmo assim, o TRE-SP considerou haver dolo no caso com base na fundamentação da decisão do TJ-SP. Em setembro, a maioria do TSE entendeu que, apesar da sentença do TJ-SP não afirme expressamente que houve dolo por parte de Maluf, a intenção ficou implícita. A relatora do caso, ministra Luciana Lóssio, considerou haver dolo e culpa ao mesmo tempo, de forma “siamesa”.

No voto desta quarta que alterou a decisão anterior do TSE, o ministro Tarcísio Vieira ressaltou que a decisão do TJ-SP o condenava por ato somente culposo. “Me parece inviável desprezar a parte dispositiva, que claramente diz ter havido ato culposo”. Aderindo aos votos de Toffoli, Gilmar e Noronha, o placar virou para 4 a 3 em favor de Maluf.
Mudança na bancada
Como Maluf foi o candidato mais votado de sua coligação, a validação de sua candidatura deve mudar a relação de deputados federais por São Paulo inicialmente divulgada. Isso ocorre porque é a soma dos votos dos candidatos e dos partidos da coligação que determina o número de cadeiras que cada uma delas obtêm na Câmara. Com mais votos oriundos de Maluf, a coligação formada por PMDB, PROS, PP e PSD deverá ter direito a mais vagas.

Após a decisão, Maluf agradeceu aos eleitores pelo Twitter e disse que dedicará “todas as forças” ao novo mandato. “Meus queridos como sempre tenho dito, minha ficha é limpa e mais uma vez a Justiça, através do TSE por ampla maioria assim decidiu e minha candidatura foi registrada”, comemorou.

Presos capotam carro da polícia após fugirem de cadeia de Congonhinhas

Fuga aconteceu na noite de sexta-feira (19), na delegacia de Congonhinhas.
De acordo com a polícia, nove presos fugiram após render um agente.

Do G1 PR
Presos capotaram carro da Polícia Civil durante a fuga da cadeia de Congonhinhas (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Presos capotaram carro da Polícia Civil durante a
fuga da cadeia de Congonhinhas (Foto: Divulgação/
Polícia Civil)
Nove presos fugiram da cadeia deCongonhinhas, no norte do Paraná, na noite de sexta-feira (19). Segundo a Polícia Civil, os detentos renderam e roubaram a arma de um policial. Em seguida, eles usaram um carro da polícia para fugir. Durante a fuga, os detentos capotaram o veículo na PR-435, entre Congonhinhas e Ibaiti.
Ainda conforme a polícia, logo após o acidente, os fugitivos renderam um motorista e roubaram uma caminhonete. O veículo foi abandonado entre Ibaiti e Figueira, também no norte do estado, após um novo acidente. A suspeita é que eles tenham fugido a pé a partir deste trecho.

De acordo com a Polícia Civil, a ala onde estavam os foragidos foi projetada para abrigar 12 presos, mas contava com 16 na hora da fuga.
As polícias Civil e Militar realizam buscas em várias regiões para localizar os foragidos. Até as 9h30 deste sábado (20), ninguém tinha sido recapturado.

Acidente com ônibus deixa um morto e pelo menos 30 feridos na PR-218

Veículo capotou no trecho da rodovia entre Amaporã e Paranavaí, no PR.
De acordo com a PRE, ônibus levava trabalhadores para atuar na região.

Do G1 PR
Um homem morreu e 36 pessoas ficaram feridas em um acidente com um ônibus no km 364 da PR-218, no trecho entre Paranavaí e Amaporã, no noroeste do Paraná, por volta das 4h deste sábado (20). Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o veículo capotou após uma curva fechada e caiu em um barranco ao lado da pista. A suspeita é que o motorista do ônibus perdeu o controle da direção do ônibus após uma falha mecânica no veículo.
Ainda conforme a PRE, o veículo levava cerca de 40 trabalhadores para uma avícola e duas fecularias na região. Um dos passageiros morreu no local. As outras vítimas foram encaminhadas para o Hospital Santa Casa e para o Pronto Atendimento Municipal de Paranavaí, a maioria com ferimentos leves.
Ônibus capotou após uma curva na PR-218, entre Amaporã e Paranavaí (Foto: Valdomiro Pereira/RPC)Ônibus capotou após uma curva na PR-218, entre Amaporã e Paranavaí (Foto: Valdomiro Pereira/RPC)