EMPRESA DE SEGURANÇA SE DESTACA NA REGIÃO


Todas as festas da região estão contratando os préstimos do GAE, empresa de segurança que está fazendo um excelente trabalho. Tanto é verdade que todos os prefeitos e promoters estão contratando a empresa. 

O comando é do Remo e do Tissão.
— com Tal Lucena.

AGROFEST 2014 - NO PRIMEIRO DIA DE FESTA O PADRE ADEMAR LORENZZETTI CELEBROU A MISSA SERTANEJA












No primeiro dia da AGROFEST 2014, como é tradicional, aconteceu a Missa Sertaneja, celebrada com maestria pelo Padre Ademar Lorenzzetti, de Londrina. Foi um momento especial, onde a comunidade católica de Santa Cecília do Pavão e região marcou presença em grande número.

O Prefeito Padre Zézinho, agradeceu a presença de todos e lembrou que por mais de 10 anos, foi ele quem celebrou a Santa Missa na abertura da Agrofest.

Neste primeiro dia de agôsto, acontece a abertura oficial com presença das autoridades local e da região.

A principal atração desta sexta-feira, será a dupla Henrique & Diego, mais show na tenda. e no sábado, 02/08, o artista Loubet fará o grande espetáculo.

A Praça de Alimentação está muito bonita e a segurança fica a cargo do GAE, que está trabalhando em todas as festas da região, com grande credibilidade.

NOVA AMÉRICA DA COLINA - PROJETO DE REVITALIZAÇÃO ESTÁ TRANSFORMANDO A ENTRADA DA CIDADE


O Prefeito Alexandre Basso, o Xande, está executando, com recursos próprios do Município, projeto de revitalização que está transformando a entrada da cidade, no trecho compreendido entre o trevo e o Cruzeiro. O projeto inclui meio-fio (já executado), duas faixas de gramado, jardinagem, arborização e construção de uma pista de caminhada. Nesta quinta-feira (31) foi iniciado plantio da primeira faixa de grama. Além de ficar mais bonito, o trecho também oferecerá mais segurança e comodidade com a construção da pista de caminhada.

HOJE TEM FEIRA DA LUA EM SÃO JERÔNIMO DA SERRA


Hoje, dia  1º de agosto AS 19:00 HORAS TEM FEIRA DA LUA NA QUADRA MUNICIPAL AO LADO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JERÔNIMO DA SERRA. UMA VEZ POR MÊS SEMPRE NA SEXTA-FEIRA OS PEQUENOS PRODUTORES TRAZEM SEUS PRODUTOS PARA SEREM COMERCIALIZADOS NO LOCAL. ALÉM DISSO TEM DELICIOSOS PASTEIS, COXINHAS, CREPES, ESPETINHOS, CERVEJAS E REFRIGERANTES. PARA AS CRIANÇAS SE DIVERTIREM TEM PISCINA DE BOLINHA, ESCORREGADOR E CAMA ELÁSTICA. UM AMBIENTE SUPER ACONCHEGANTE QUE TE PROPORCIONA MUITA ALEGRIA. SAIA DA ROTINA DO DIA A DIA VENHA PARA A FEIRA DA LUA E PASSE MOMENTOS COM SUA FAMÍLIA E AMIGOS. OS FEIRANTES AGRADECEM DESDE JÁ A SUA PRESENÇA. FEIRA DA LUA TEM O APOIO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JERÔNIMO DA SERRA.

fonte - reginaldo saturnino

Através do SENAI prefeitura Municipal de Congonhinhas aplica curso profissionalizante no Município





Está acontecendo em Congonhinhas os cursos de costureiro industrial e aplicador de revestimento cerâmico, os cursos tem o apoio da Prefeitura municipal através da Secretaria de Desenvolvimento social e Coordenado e aplicado pelo (SENAI) Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial.
Os cursos estão sendo ministrados em três horários, de manhã, a tarde, e a noite.
Segundo os Instrutores de ambos os cursos os alunos estão apresentando um bom desempenho na aprendizagem superando todas as expectativas. Fonte Geraldo Noticias

Prefeito Adir Leite(PSDB) realiza a manutenção na estrada que liga o Distrito de Terra Nova a cidade de São Jerônimo da Serra



FONTE - http://www.reginaldosaturnino.com.br/
Foram feitas as devidas manutenções na Estrada mestra que liga o Distrito de Terra Nova a cidade de São Jerônimo da Serra. A estrada foi totalmente cortada e em alguns pontos críticos foram cascalhados. Para facilitar o transito dos veículos, o prefeito Adir Leite solicitou para que sua equipe fizesse o melhor para que a estrada desse melhores condições de trafegabilidade ao seu povo. 

ASSAÍ - Professores participam de oficina de contação de história‏




Professores da educação infantil e 1º ano da rede municipal participam de uma oficina de contação de história ministrada pela professora Maria Leda Ferraz no Salão do Cmei Oásis Santa  Paula.
A capacitação é uma cortesia do grupo Rhema Educação ministra cursos de pós graduação na cidade, e tem como objetivo atualizar os profissionais da educação  nesta ferramenta que é a contação de história na hora de ensinar.

Para a coordenadora da educação infantil Josiane Gomes de Moraes a oficina os professores dentro das salas de aula, “muitas vezes os alunos ficam dispersos, não prestam atenção no conteúdo que esta sendo passado, e com uma historia bem contada pode transformar esse cenário despertando o interesse do aluno”

Murilo Leonardi
Assessor de Imprensa
Prefeitura Municipal de Assaí

PROJETO RONDON - Lição de vida e de cidadania

UEL está com inscrições abertas para o Projeto Rondon; ex-voluntárias contam sobre a experiência

 
Anderson Coelho
Camila Balestri dos Santos e Mônica de Oliveira Belém: "A nossa visão de mundo muda completamente"
Arquivo Pessoal
No ano passado, atividades foram desenvolvidas em Queimada Nova, cidade do Piauí com 10 mil habitantes
Londrina - Como você se sentiria se oferecessem uma temporada de 12 dias em um município com cerca de 10 mil habitantes, com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo e sem muitos atrativos turísticos? Se a palavra "feliz" não está entre as que pensou, é porque você não fez parte do grupo de estudantes da Universidade Estadual de Londrina (UEL) que integrou a Operação Canudos do Projeto Rondon, no ano passado.

O Rondon é um projeto do Ministério da Defesa que visa a integração social por meio da participação voluntária de universitários, que contribuem para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes. Para quem estuda na UEL, o projeto está com inscrições abertas até o dia 8 de agosto. Neste ano, a comunidade visitada será a de Tacima (PB), com 10 mil habitantes e IDH de 0,548. Vale lembrar que quanto mais próximo de 1,000 este IDH atingir, melhor o desenvolvimento humano. Só para comparar, Londrina possui um IDH de 0,778.

São condições semelhantes ao que um grupo da UEL encontrou no município de Queimada Nova (PI) no início do ano passado. A reportagem conversou com duas ex-integrantes do projeto, a biomédica Mônica de Oliveira Belém, de 23 anos, e a graduanda em Geografia Camila Balestri dos Santos, de 25.

Indagadas sobre as melhores lembranças do projeto, um misto de sorrisos e expressões de felicidade surgiram e a resposta estava na ponta da língua: o contato com as pessoas de lá. "Nos receberam superbem. Trataram a gente desde o primeiro dia como amigos. Durantes as oficinas que oferecíamos acontecia uma troca de experiências. Foi muito interessante ", destacou Camila. Mônica, por sua vez, ressaltou que mesmo as pessoas mais idosas, que geralmente são mais resistentes ao aprendizado, foram receptivas e participaram das oficinas. "A nossa visão de mundo muda completamente. Saímos de uma visão de um mundo com conforto para ir a um lugar completamente diferente", ressaltou.

Segundo elas, cada integrante do grupo ajudou em sua área. Camila ensinou sobre destinação correta dos resíduos sólidos, explicando como fazer um aterro sanitário simplificado e como formar um Conselho do Meio Ambiente. Mônica ensinou como fazer a destinação do lixo correta e fez uma análise das fontes de água potável do município. "Fiz uma análise rápida e quase todas estavam contaminadas. Ensinei a fazer um tratamento básico por meio da fervura da água e com a aplicação de água sanitária na água. Também ensinei a fazer sabão com o óleo usado da cozinha", destacou.

As jovens contaram que uma estudante de Engenharia Civil que ensinou os moradores a fazer fossas sépticas e uma de Agronomia trabalhou no cultivo de culturas mais adaptadas aos períodos de seca.

Elas lembraram que no período em que ficaram por lá coincidiu com a chegada da chuva, fenômeno raro por lá. "Começamos a dar valor para pequenas coisas. Quando choveu por lá, foi uma festa", destacou Mônica, que enfatizou que não houve dificuldades para cumprir as oficinas que tinham sido planejadas. A experiência com outra realidade também mudou a visão de alguns programas sociais que o governo federal oferece. "Aqui no Sul há uma crítica grande contra o programa Bolsa Família, mas lá eles necessitam disso. São agricultores, mas não dá para plantar sem água. Não dá para fazer chover. Com a ajuda do governo eles conseguem alguma coisa para comer", observou.
Vítor Ogawa
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

Pontos de ônibus podem receber pisos de concreto

Objetivo da secretaria de Obras é acabar com as deformações no asfalto em locais onde o há o embarque e desembarque de passageiros

Celso Pacheco
"Borrachudos" e "panelas" são alvo de reclamações de pedestres e de motoristas
Londrina - As deformações no asfalto, conhecidas também como borrachudos e panelas, estão presentes em vários vias de Londrina, como na Rua Professor João Cândido (área central), na rotatória do Terminal Ouro Verde e nos Cinco Conjuntos (ambos na zona norte). Elas são provocadas pela combinação do alto fluxo dos veículos, deterioração da base estrutural da via e pela variação da temperatura. As consequências disso atingem comerciantes, prestadores de serviços, pedestres e condutores.

O cabeleireiro Ary Magalhães Azevedo possui um salão na João Cândido e seus clientes sofrem com a elevação da sarjeta provocada pelos borrachudos. A reportagem presenciou uma de suas clientes saindo com o carro no estabelecimento e o fundo do veículo raspou na guia da calçada. "Uma de minhas clientes ia sair da vaga e sentiu o carro bater na guia. Ela parou o carro na faixa exclusiva e um ônibus acabou batendo no carro dela", reclamou.

Perto dali o corretor imobiliário Marcelo Scandalae reclama que a prefeitura realizou o serviço de tapa-buracos em frente de seu estabelecimento, no entanto as guias e sarjetas foram destruídas pelo borrachudo gerado pelo fluxo elevado de ônibus. Segundo ele, os pedaços remanescentes acabaram incorporados ao remendo asfáltico e ficaram acima do nível da calçada.

"Essa faixa exclusiva deveria ser de concreto para acabar com essas deformações no asfalto", sugeriu o corretor. Segundo o secretário municipal de Obras, Walmir Matos, não há planejamento para implantar uma faixa exclusiva de concreto, mas já há uma previsão para implantar pisos de concreto em frente aos pontos de ônibus.

Matos destacou que os recursos para isso já estão liberados pelo programa Paraná Cidades. "Foram liberados R$ 10 milhões e parte disso pode ser voltada para a implantação desses pavimentos de concreto", destacou. Ele explicou que o projeto dessas benfeitorias será concluído em 20 ou 30 dias e será encaminhado para o programa Paraná Cidades, do governo estadual, para aprovação. "Assim que eles derem o OK, nós publicaremos o edital. Acredito que até novembro as obras se iniciem", projetou.

O secretário ressaltou que não foi possível fazer um planejamento para concretar toda a via porque não há dotação orçamentária e nem há empresas com experiência em concretar uma via inteira.

O azulejista Evaldo Lopes afirma que a concretagem apenas nos pontos de ônibus continuará gerando problemas. "O concreto é mais resistente, mas acredito que se não for implantado na via inteira surgirá um problema na junção do concreto com o asfalto. Ali, se não receberem manutenção constante, formarão panelas (buracos) e não adiantará nada", analisou.

Para o soldador Alzemiro Pinheiro, a adoção de pavimentos de concreto em frente aos pontos de ônibus ajudará muito. "Eu ando de moto e sempre que passo por esses pontos a gente dá uma desequilibrada e corre o risco de cair", relatou. Ele contou que seu irmão já sofreu um acidente de moto quando passou por uma panela. "Ele passou com a moto na Vila Santa Terezinha, aí o pneu travou no buraco e ele caiu", relatou.

USUÁRIOS
Para os usuários de ônibus, a implantação do concreto pode melhorar a situação das pessoas que descem dos coletivos. A estudante de Odontologia Giovanna Simonetti relata que viu por diversas vezes pessoas tropeçando nessas deformações asfálticas. "Vai ser bom para evitar acidentes", afirmou.

A coordenadora de vendas Bárbara de Matos afirma que o problema não é exclusivo dos pontos de ônibus, mas também nos locais em que há um fluxo grande de veículos. Ela cita a rotatória do Terminal Ouro Verde, que também recebe muitos ônibus, mas também circulam muitos veículos de passeio. "O problema é quando formam essas depressões e nos dias de chuva a água fica empoçada e os veículos passam correndo e molham todos que estão ao lado", reclamou.
Vítor Ogawa
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

Impostos sobre presentes para Dia dos Pais chega a 78%

Índice se refere ao peso sobre preço de perfume importado e mostra importância de reacender debate sobre reforma tributária

Marcos Zanutto
A comerciante Sandra Pigozzo diz que com o sistema de Substituição Tributária ficou ainda mais difícil de trabalhar
Os impostos sobre os presentes mais lembrados para o Dia dos Pais chegam a 78,43% do preço final do produto no caso do perfume importado, segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT). Em um momento em que o brasileiro colocou o pé no freio e deixou de ir às compras, lojistas temem que as vendas de itens que não são essenciais prejudiquem o resultado do comércio no período. Situação que faz ressurgir o debate sobre a necessidade de uma reforma tributária no País, que torne a cobrança de impostos mais justa.

A arrecadação de tributos é feita hoje de forma regressiva, com maior representatividade sobre o consumo e menor sobre o patrimônio e a renda. Isso faz com que a população mais pobre pague mais proporcionalmente do que a mais rica.

No caso dos presentes para o Dia dos Pais, os impostos sobre um barbeador elétrico (48,11%) ou sobre um televisor (44,94%) serão os mesmos para o trabalhador que ganha R$ 2 mil ou R$ 10 mil ao mês. Porém, proporcionalmente à renda, o custo é maior para quem tem menor poder aquisitivo.

O presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, afirma que, para o governo, é mais fácil arrecadar na fonte do que esperar a empresa ou a pessoa física prosperarem para então faturar. "Com a tributação sobre o consumo, pesa muito mais para os que tem menor condição financeira porque não há diferenciação na cobrança de impostos", diz.

Ele lembra que mais de 70% dos valores cobrados em tributos hoje é sobre produção e consumo. Uma reforma, porém, está longe de ocorrer, na opinião dele. "Falta vontade política do governo e há um temor de que isso poderia reduzir a arrecadação, o que não é verdade, se houver estrutura, logística e tempo", afirma Olenike.

A mudança, diz, precisa envolver governos federal, estadual e municipal, que vivem em queda de braço por receio de que a receita diminua. "Os estados querem garantias de que não vão perder arrecadação, mas o governo federal poderia criar um fundo para esse fim", diz, ao considerar que, apesar da importância, o tema deve ficar fora dos debates eleitorais por ser desconhecido para a maior parte da população.

Consumo em baixa
Olenike afirma que, no caso de boa parte da lista de presentes mais comuns para os pais, os itens são considerados supérfluos pelo legislador, o que faz com que a tributação seja mais elevada. Ele lembra ainda que há o Imposto de Importação no caso de itens que vêm do exterior, o que restringe mais as compras.

Para a proprietária da La Perfumaria Flor da Pele, Sandra Pigozzo, o próprio lojista acaba penalizado pelo Regime de Substituição Tributária, porque paga os impostos na compra, antes de vender o produto. "Tudo o que fica no estoque é dinheiro parado. Quando abrimos a empresa, era interessante porque fazíamos parte do Simples, que não tinha isso, mas agora é assim para quase todos os produtos", diz. A substituição, conforme Olenike, é prejudicial principalmente para os micro e pequenos empresários.

A gerente da Stop Jeans Thaís Dias afirma que a redução do valor dos impostos, que é de 38,53% sobre a calça jeans, poderia elevar e muito o consumo. Ela conta que as vendas estão muito mais fracas neste ano do que nos anteriores. "No geral, está tudo muito caro e as pessoas acabam tendo de gastar com coisas que consideram mais essenciais do que vestuário ou presentes", diz.


Fábio Galiotto
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

Taxistas fazem paralisação

Curitiba – Taxistas que trabalham para empresas em Curitiba decidem hoje se suspendem a paralisação iniciada na quarta-feira. Conforme o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Paraná (Sitro), 220 profissionais cruzaram os braços nos últimos dois. Isso representa cerca de 7% do total da frota da cidade, que hoje é de 2.894 veículos. Atualmente 16 empresas controlam 220 placas de veículos na capital.

A categoria reivindica reajuste salarial e aumento do vale-refeição e critica o preço pago pelo empregado pelo quilômetro rodado. A proposta dos trabalhadores é de R$ 1,15, enquanto os patrões insistem no valor de R$ 1,20.

De acordo com Jaceguai Teixeira, secretário-geral do Sitro, o maior impasse é em relação ao quilômetro pago pelos empregados. Contatado pela reportagem, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros em Automóvel de Aluguel (Táxi) não se manifestou sobre o assunto.
Rubens Chueire Jr.
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

5º BATALHÃO - Novo comandante vem de São José dos Pinhais

O major Hudson Leôncio Teixeira será o novo comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar (PM) em Londrina. O atual comandante do 17º Batalhão, sediado em São José do Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba), será o substituto do tenente-coronel Samir Elias Geha, que anunciou a sua saída na quarta-feira, após dois anos à frente do comando da corporação.

O nome do major foi confirmado após um encontro ontem de manhã entre Geha e o comandante-geral da PM do Paraná, coronel César Vinicius Kogut, em Curitiba. A cerimônia de passagem está marcada para o dia 12 de agosto. Até lá, o 5º Batalhão será comandado interinamente pelo capitão Nelson Villa, atual relações-públicas da corporação. Geha assume na segunda-feira o 3º Comando Regional, com sede em Maringá.

O major Hudson Leôncio assumiu o comando do 17º Batalhão, responsável pelo policiamento em oito cidades da grande Curitiba, entre eles São José dos Pinhais, Araucária, Campo Largo, Colombo e Almirante Tamandaré, em abril deste ano. Antes, o major foi subcomandante do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). "O major Hudson foi uma excelente escolha e tenho certeza que vai realizar um grande trabalho em Londrina", frisou Geha.
Lucio Flávio Cruz
Reportagem Local

LONDRINA - Guardas pedem saída de secretário de Defesa Social

Locais de trabalho insalubres e falta de manutenção na frota estão entre as reclamações da categoria

Anderson Coelho
Grupo de guardas municipais reivindica a realização de curso de tiro
Londrina – Mais de 50 guardas municipais fizeram ontem um protesto pacífico em frente ao prédio da Prefeitura de Londrina. Parte do efetivo que estava de folga se reuniu para cobrar um posicionamento do prefeito Alexandre Kireeff sobre as reivindicações. Entre elas estão a saída do secretário municipal de Defesa Social, coronel Rubens Guimarães, e a realização do curso de tiro. Esta última promessa se arrasta desde a criação da corporação, em 2010.

O representante dos guardas municipais, Ricardo Alexandre Brun, diz que as condições de trabalho são insalubres. "Temos viaturas paradas, carros rodando de forma precária, armamento e munições paradas na secretaria, postos de trabalho sem banheiro e sem água e seis motos novas sem utilização há mais de cinco meses", enumerou. "Eles reclamam que não têm dinheiro para fazer a manutenção dos veículos, contudo havia um dinheiro separado para a Secretaria de Defesa Social, mas foi destinado para outra secretaria."

Segundo Brun, Kireeff já sinalizou que não pretende fazer mudanças na Defesa Social. "Nós sabemos que o secretário é uma pessoa muito experiente, tem uma capacidade muito grande. Infelizmente, ele não está cumprindo com o que ele disse, que conseguiria o curso de tiro. Foi informado que iniciaria em agosto do ano passado, foi mudada a data para dezembro do ano passado, porém até agora o curso não foi dado", criticou.

A categoria cobra ainda melhoria nos salários e curso para utilização de pistolas de choque. Cerca de 120 equipamentos já estão disponíveis.

O prefeito recebeu os guardas durante a tarde, ouviu as reivindicações e garantiu que o coronel Rubens Guimarães continua no cargo. "O secretário tem a minha confiança e tem a experiência necessária para superar essa situação e seguir comandando o trabalho", ressaltou.

Kireeff pediu aos guardas municipais que todas as reclamações fossem formalizadas e solicitou junto as secretarias de Gestão Pública e Defesa Social que seja feita uma força-tarefa para resolver as pendências reveladas pela categoria.

Guimarães participou apenas do fim do encontro. Ele diz que está encaminhando documentação para que o curso seja ministrado pela Polícia Militar.

Sobre os veículos parados, o secretário alega que aconteceram alguns acidentes e a oficina mecânica conveniada ainda não pôde recuperar os carros, em virtude da demanda, e que a documentação para liberar as motos novas já está sendo providenciada.
Lucio Flávio Cruz e Viviani Costa
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

LEC cumpre dever de casa ante Santos

Alviceleste venceu por 2 a 1, ontem, no Café, e agora joga pelo empate na partida de volta, dia 14, na Vila Belmiro

Fotos: Marcos Zanutto
Joel comemora o primeiro gol da vitória do Londrina diante do Santos
Torcida fez sua parte e empurrou o Tubarão durante os 90 minutos
O Londrina venceu o Santos por 2 a 1 ontem, no estádio do Café, pela terceira fase da Copa do Brasil e o resultado acabou por agradar as duas equipes. Ao Tubarão, porque leva uma vitória para o jogo de volta após quase ser castigado com um empate nos minutos finais. Ao Peixe, porque mandou um time inteiro de reservas e terá uma diferença mínima a ser tirada na Vila Belmiro. "Um gol fora de casa é muito importante. Tem mais 90 minutos na Vila", afirmou o volante santista Allan Santos.

A vitória alviceleste saiu dos pés da dupla Paulinho e Joel. O baixinho cruzou e o camaronês marcou nas duas oportunidades, o segundo, aos 45 minutos do segundo tempo. "Foi meu segundo jogo, foi importante. Essa oportunidade que o (técnico Cláudio) Tencati me deu, contra o Santos, um jogo difícil. O importante é que saímos com os três pontos", afirmou Paulinho.

O técnico Cláudio Tencati, que completava 100 jogos pelo clube, optou pela velocidade de Paulinho ao invés da técnica e cadência de Rone Dias e o jogo mostrou que estava certo. Foi o baixinho de cabelo descolorido o destaque da primeira etapa. Ele infernizava a defesa santista com sua velocidade. Foi assim que quase abriu o placar aos 6 minutos, quando deixou o defensor no chão e chutou para a ótima defesa de Vladimir.

O Londrina era soberano no jogo, dominava as ações, mas o ímpeto foi esfriando e o Santos foi tomando terreno, até que Paulinho resolveu a situação. Ele disparou pela lateral direita, deixou o zagueiro Vinícius Simon na saudade e cruzou na cabeça de Joel, que mandou para as redes com classe, aos 22 minutos de jogo.

Com o gol, o Tubarão recuou e passou a abusar das ligações diretas da defesa para o ataque. Emoções novamente, só nos minutos finais. Aos 41 minutos, o Santos teve sua única chance no primeiro tempo. Souza limpou o lance na área e ficou de frente para Vítor, mas pegou mal na bola e chutou para fora.

O Londrina respondeu aos 44 minutos, de novo com Paulinho. Ele foi lançado e recebeu sozinho na área, driblou Paulo Ricardo, mas o zagueiro santista conseguiu se recuperar a tempo de evitar o gol alviceleste. Um minuto depois, Joel cruzou e Celsinho chegou de carrinho na pequena área. Novamente, Paulo Ricardo salvou.

O segundo tempo não teve futebol até os minutos finais. O Santos se mostrava satisfeito com a derrota mínima, já o Londrina se limitava a garantir o 1 a 0. E o primeiro chute a gol aconteceu apenas aos 40 minutos e foi certeiro. O Londrina tentou fazer a linha do impedimento, mas não teve sucesso. Geuvânio, que havia entrado há pouco, saiu na cara de Vítor e tocou sobre o goleiro para empatar.

Com o golpe acusado, o Tubarão acordou e resolveu atacar. E na única chance que teve, conseguir evitar o castigo. Numa cena parecida com a do primeiro tempo, Paulinho foi à linha de fundo e cruzou na cabeça de Joel, que fez 2 a 1.

No dia 14, as duas equipes se enfrentam na Vila Belmiro. Com um empate, vitória ou derrota por um gol de diferença acima de 3 a 2, o Tubarão avança para as oitavas de final. Dois a um para o Santos dá pênalti. Se o Peixe vencer por 1 a 0 ou por dois gols de diferença, é ele quem avança.

EM LONDRINA

LONDRINA 2
Vítor; Lucas Ramon, Dirceu, Sílvio e Allan Vieira (Diego Prates); Diogo Roque, Bidia (Leonardo Dagostini), Léo Maringá e Celsinho (Rone Dias); Paulinho e Joel. Técnico: Cláudio Tencati

SANTOS 1
Vladimir; Zé Carlos, Paulo Ricardo, Vinícius Simon (Naílson) e Émerson; Allan Santos, Renato e Souza; Jorge Eduardo (Geuvânio), Diego Cardoso e Stefano Yuri (Giva). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

ÁRBITRO: Igor Junio Benevenuto
ESTÁDIO: Do Café
GOLS: Joel, aos 22 minutos do 1º tempo; Geuvânio, aos 40, e Joel, aos 45 minutos do 2º tempo
PÚBLICO: 14.334 pagantes (15.331 total)
RENDA: R$ 43.5560,00
Thiago Mossini
Reportagem Local-folha de londrina

ELEIÇÕES 2014 - Marqueteiros prometem campanha sem ataques

Temas polêmicos não ficarão de fora, mas publicitários garantem que não há espaço para "guerra" entre candidatos

Curitiba - Uma campanha "limpa", focada em propostas e sem ataques gratuitos aos rivais. Essa é a promessa dos marqueteiros dos principais concorrentes ao governo do Paraná. A FOLHA ouviu os profissionais responsáveis por conduzir os programas de sete dos oito candidatos ao Palácio Iguaçu. Apenas Aírton Pissetti, coordenador de marketing do senador Roberto Requião (PMDB), preferiu não se pronunciar antes do início da propaganda no rádio e na televisão. "Não vou abrir nada. Se contar, vou ser revelador para os adversários", justificou-se.

O publicitário Raul Cruz Lima, contratado pelo governador Beto Richa (PSDB), que disputa a reeleição, disse que sua tarefa será simples. "É a campanha do vencedor, de quem está na frente nas pesquisas. Será baseada nas coisas que ele fez e nas coisas que quer fazer, nas propostas para o futuro. A gente espera algo educado, evoluído, e pede para ele não responder a ataques de ninguém", afirmou. O marqueteiro principal do tucano será Paulo de Tarso, que já atendeu Jaime Lerner e o próprio Beto, na época em que ele foi vice de Cassio Taniguchi em Curitiba. No entanto, como o profissional também está conduzindo a campanha de Marconi Perillo (PSDB) em Goiás, Lima ficou encarregado de tocar as ações no Paraná.

Tanto Beto como Gleisi Hoffmann (PT) devem reforçar seus feitos nos cargos por onde passaram. Além do governo do Estado, o tucano irá relembrar do tempo em que foi prefeito da capital. "Estamos numa posição privilegiada. Eles (adversários) é que precisam se virar e mostrar que podem chegar. Se a gente conduzir bem, pode ganhar até no primeiro turno", avaliou Lima. Segundo ele, desde junho de 2013, quando protestos eclodiram pelo País, as pessoas têm mostrado um descontentamento generalizado com a política, o que requer a utilização de uma linguagem mais despojada. "Queremos criar uma campanha baseada na credibilidade, procurar uma forma franca de falar com as pessoas, para que elas possam acreditar. Não serão aquelas promessas de campanha de sempre", adiantou.

A senadora, por sua vez, pretende mostrar a experiência que adquiriu ao chefiar a Casa Civil durante a maior parte da gestão de Dilma Rousseff (PT) na Presidência da República. O publicitário Oliveiros Marques, responsável pela campanha vitoriosa de Gustavo Fruet (PDT) em Curitiba, em 2012, e da própria senadora em 2010, conduzirá as ações da petista. Apesar de não poupar críticas aos problemas financeiros enfrentados pela administração estadual, ele contou que quer evitar a disputa "bélica". "Não nos preparamos para a guerra. Vamos fazer um debate sobre o futuro do Paraná. Não constam para nós elementos de ataque aos adversários."

Além de pontuar o que Gleisi "já fez pelo Paraná", em referência aos repasses de recursos federais para obras em diferentes áreas no Estado, Marques deve enfatizar a "linguagem feminina" da petista. "A gente não vai fazer uma campanha de ‘vote nela por ser mulher’. Não acredito que o eleitor se mova por isso. Mas a mulher tem sim uma forma de se relacionar com os assuntos diferente. Isso se mostra no cotidiano, nas preocupações, na forma de lidar com os problemas", explicou. "Quero alguém brigando com todo mundo, ou quero uma governadora que dialoga, que trabalha pelo consenso e pela cooperação? Não tem como não explorar esse lado, porque isso ‘é ela’", completou.

Crise e "discriminação"
Como ficou claro nos planos de governo protocolados junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), tucanos e petistas devem levar a questão dos empréstimos para os palanques. Ambos, porém, negam que as discussões signifiquem "ataques". "A Gleisi e o Requião representam o mesmo governo federal, a mesma crise que a gente está vivendo. O Paraná tem dois senadores que, ao invés de ajudar, têm atrapalhado a situação. Somos o terceiro Estado que mais manda impostos para o governo federal e o 24º ou 25º em volume recebido de recursos. É discriminação", disparou Raul Cruz Lima.

Para Oliveiros Marques, as informações sobre a crise financeira enfrentada pelo Estado representam "um diagnóstico", e não uma crítica. "O próprio governador, ao admitir a necessidade de buscar financiamento, deixa isso claro. Só recorre a empréstimo quem está precisando de grana", alfinetou. "É fato que eles gastaram 9%, quando deveriam gastar 12%, do orçamento em saúde, assim como é fato que isso impede a contratação de qualquer operação de crédito. Falar que é perseguido é ‘discurseira’, tentativa de maquiar o diagnóstico", acrescentou.

A campanha eleitoral já está nas ruas há quase um mês e o início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão está marcado para o próximo dia 19.

Marco Jacobsen

Mariana Franco Ramos
Reportagem Local-folha de londrina

Ex-prefeito do litoral do Paraná deve devolver R$ 183 mil aos cofres estaduais

Redação Bonde com TCE/PR
QR:
 

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) julgou irregular a prestação de contas do convênio celebrado entre o Município de Paranaguá (Litoral) e o Instituto de Ação Social do Paraná, no valor de R$ 300 mil, referente ao exercício financeiro de 2006 a 2010. Os repasses tinham como objetivo a execução de atividades relativas à criança e ao adolescente. As contas estavam sob a responsabilidade de José Baka Filho. 

Os motivos da desaprovação das contas foram ausência do Termo de Cumprimento dos Objetivos e do Termo de Instalação e Funcionamento dos Equipamentos, além da falta de comprovação das despesas e do saldo final da transferência.

Em razão das irregularidades, o Tribunal determinou a devolução parcial dos recursos repassados, no valor de R$ 186.077,82, devidamente corrigidos, a ser efetuada pelo gestor. 

A decisão, da qual cabe recurso, ocorreu na sessão de 8 de julho da Primeira Câmara. Os votos dos conselheiros foram embasados em instrução da Diretoria de Análise de Transferências e parecer do Ministério Público.

ELEIÇÕES NO PARANÁ - INSTITUTO CONCLUI AMANHÃ PESQUISA SOBRE AS ELEIÇÕES NO PARANÁ


O Instituto Veritá conclui amanhã uma pesquisa sobre as eleições no Paraná. A pesquisa, com custo de 93 mil reais, bancado pelo próprio instituto, foi registrada na Justiça Eleitoral e ouve 2.302 eleitores paranaenses.
A pesquisa sonda a sucessão ao governo do Estado, inclusive com simulações de segundo turno; a disputa pelo Senado, mas exclui a sucessão presidencial.
Os eleitores têm a oportunidade, apenas, de avaliar o governo Dilma Rousseff.
fonte - roseli abrão

Decifrando sua conexão

Ícones de internet no celular indicam a velocidade disponível no momento para transferência de dados

Paulo Lisboa
Oferta da tecnologia em estações das operadoras influenciam no sinal recebido pelo usuário
Usuários que têm plano de internet contratado junto a uma operadora já devem ter se questionado sobre as mudanças nos ícones que sinalizam a conexão no aparelho. Quem tem um plano 3G, por exemplo, certas vezes é surpreendido pela mudança do símbolo para a letra E, H ou H+. No primeiro caso, a lentidão da conexão é imediamente sentida, mesmo que não se saiba o porquê.

José Ricargo Garcia, especialista no mercado de telecomunicações, explica que os sinais identificados pelos usuários estão relacionados à tecnologia de transmissão de dados móvel, dependendo da operadora contratada e do local em que o usuário se encontra. "Sinais como H ou H+ são nomes técnicos para a tecnologia 3G, que é o nome comercial; agora, se aparecer um E significa que o aparelho foi para uma nova estação radio-base, com tecnologia inferior", detalha.

Garcia diz que um aparelho com tecnologia 4G, por exemplo, geralmente vai mostrar este símbolo ou o LTE. "Contudo, se o usuário está em uma localidade em que a sua operadora não tem a tecnologia 4G, como as bordas das cidades, e aparece um E, ele irá navegar na internet mas em velocidades muito baixas", detalha.

Os ícones estão relacionados à taxa de transferência de dados utilizada pela operadora e contratada pelo usuário. A primeira geração de transferência de dados disponível no Brasil, hoje conhecida como 2G, foi o GPRS, que chegou junto com a tecnologia GSM. Hoje, existe também o EDGE. A velocidade é crescente de uma para a outra tecnologia (ver info), mas todas são inferiores à terceira geração (3G), que compreende outras três tecnologias: WCDMA (UMTS), HSPA, HSPA+. Hoje já existe a LTE, conhecida como 4G. São as primeiras letras de cada tecnologia que aparecem na tela dos aparelhos.

Nas tecnologias 3G, as taxas máximas de transferência de dados variam de 2 megabits por segundo (Mbps) a 42 Mbps. No 4G chegam a 100 megabits por segundo (Mbps). Garcia acrescenta que, em casos de aparelhos que suportam apenas tecnologia inferior à ofertada pela operadora no local, a conexão respeitará este limite.

"Se o usuário de um aparelho 3G está em uma localidade com 4G, a velocidade daquela antena é de alta tecnologia, mas se o aparelho não suporta, automaticamente a velocidade é nivelada pelo equipamento", explica. Podemos entender, portanto, que a mudança de ícone na tela do aparelho está diretamente relacionada ao local em que o usuário se encontra. E qualquer interferência pode provocar a mudança.

"Quando o ícone muda dentro do mesmo local pode ser uma nuance de sinal interno, pode ter interferência de uma parede, algo assim; pode ser também que o transmissor do celular esteja com defeito", esclarece Mary Feliciano, do departamento de Engenharia e Planejamento da Sercomtel. Segundo ela, antes da instalação de torres a operadora realiza um cálculo, por meio de um software, para estimar o alcance e a capacidade de cada uma. Hoje, a Sercomtel tem mais de 50 estações radio-base na zona urbana e rural de Londrina.

Flávio Borsato, diretor de operações da empresa, lembra que a operadora adotou o GSM em Londrina no ano 2000 e, junto com ele, veio a GPRS. Na sequência, apareceu o EDGE, com velocidade três a seis vezes superior que o anterior. "Por volta de 2005 surgiu o conceito de terceira geração; depois veio o conceito da banda larga HSPA", relembra.

Suporte
Adriano Sepe, professor de Análise de Desenvolvimento de Sistemas da Unopar, explica que os smartphones têm suporte para uma infinidade de tecnologias, no entanto, depende da cobertura da operadora. "Ela vai cobrir o máximo da cidade, mas as tecnologias avançam. Se o smartphone suporta 4G mas a operadora não oferece, então fica sub-utilizado", diz.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou, por meio de sua assessoria, que a operadora tem que garantir 80% do município coberto para que este seja considerado atendido por determinada tecnologia.



Continue lendo:
- Ícones diminuem ‘frustração’ do usuário
Cecília França
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

GOVERNADOR BETO RICHA(PSDB) RECEBE A CHEFE DO NÚCLEO REGIONAL DE EDUCAÇÃO EM SEU GABINETE

O Governador Beto Richa(PSDB), recebeu nesta quinta-feira, o Ex Prefeito de São Sebastião da Amoreira,  Adevilson Gouveia e a Chefe do Núcleo Regional de Educação de Cornélio Procópio, Professora Adalgisa Gouveia.


PLANTÃO DE POLÍCIA - OCORRÊNCIAS ATENDIDAS 30 PARA 31 DE JULHO 2014

ESTELIONATO CORNÉLIO PROCÓPIO:

 Por volta de meio-dia e meio equipe PM deslocou a determinada loja da Rua Massud Amin, onde um indivíduo aparentando ter 45 anos, e se fazendo passar por cliente realizou uma compra de roupas no valor de R$ 6.800,00 reais alegando que iria revender as roupas em oura loja de sua propriedade. Que enquanto a balconista ligava para a proprietária para verificar se essa aceitaria um cheque do Banco Itaú no nome de uma terceira pessoa, o falso cliente apanhou as mercadorias colocou-as em uma camioneta VW/Saveiro (branca) com um outro indivíduo que já o esperava no interior do veículo e fugiram tomando rumo ignorado. O cheque de terceiro dado na loja, provavelmente furtado ou adulterado constava com o nome de Arlen Francyele de Souza). Qualquer informação favor repassar ao 190 da PM.

FURTO / RECEPTAÇÃO CORNÉLIO PROCÓPIO:


 Por volta de 22h15m equipe PM logrou êxito em prender em flagrante tanto a um ladrão de som automotivos, como também o a um receptador. Ambos já vinham sendo observados há algum tempo, sendo que, dessa última feita o acusado por prenome Marcelinho, 27 foi flagrado logo após quebrar a ventarola de um veículo estacionado na Rua Quintino Bocaíuva, de onde subtraiu um som automotivo da marca Motorola. Após ser flagrado minutos depois pela equipe de serviço, na Vila d! Antena, o réu acabou por delatar o receptador, por prenome Bruno, 21 anos, o qual disse ter pago R$ 20,00 reais pelo aparelho. Logo ambos seguiram encaminhados para o devido procedimento legal. OBS: O receptador alegou que o gatuno revende mercadorias furtadas por preço baixo uma vez que ele é usuário de drogas.

ATENDIMENTO EM LOCAL DE ÓBITO ANDIRÀ: 


Ás 22h20m equipe PM recebeu denúncias de que no cruzamento da Rua Caramuru com Rua 19 de Dezembro havia uma pessoa caída e ferida no chão. Já no local foi encontrado já sem vida e com um corte na altura do pescoço e queixo a pessoa de Márcio Fernando da Silva Prado, 27 anos. Diante do exposto o local foi mantido preservado até a remoção do corpo pelo IML. Por sua vez, a polícia já possui alguns dados que possibilitarão chegar até o autor do crime.